IURD Cenáculo Brasilândia Rua,Parapuã,1885, V. Brasilândia, São Paulo, SP

Loading...

O direito da convicção pessoal e a liberdade de juízo sobre questões duvidosas

Um faz diferença entre dia e dia; outro julga iguais todos os dias. Cada um tenha opinião bem definida em sua própria mente.(Rm 14.5)

É muito fácil ser como camaleão e viver mudando de cor teológica para se adaptar ás situações,digo que também é fácil se deixar levar por preferência ou preconceito teológico ao invés de se direcionar pelo ensino claro da Bíblia. Note que o conselho de Paulo é que devemos ter opiniões bem definidas,com base clara na Escrituras,não permitindo que outros determinem nossas decisões ou conduta. Assim sendo temos que viver com o produto [resultado] de nossas decisões,é por conta disso que devemos ter nossas próprias convicções. "Um crê que de tudo pode comer, mas o débil come legumes;Quem come de tudo não deve desprezar quem não faz isso, e quem só come verduras e legumes não deve condenar quem come de tudo, pois Deus o aceitou."(Rm 14.2-3)

O problema em questão tinha sua origem no alimento oferecido aos ídolos. O Apostolo ressalta que para o cristão que é bem instruído , um ídolo não é nada,e ele se sente livre para comer alimento oferecido àquele. Mas para o fraco na fé,isso é tropeço. Por exemplo tem cristão que não come Acarajé [Bolinho feito a base de feijão-fradinho, cebola e sal, frita em azeite-de-dendê] Porque considera o fato de que o Acarajé é um bolinho característico do candomblé,como uma comida consagrada aos orixás. Eu particularmente considero o acarajé apenas como um prato típico da culinária baiana que se preparado fora do ritual de candomblé eu delicio-me com ele.

Assim eu observo que Paulo queria dizer que como não havia nenhuma doutrina vital em jogo,ele exortava que se usasse de tolerância nesta causa e que dentro da igreja,tendo questões que não sejam claramente erradas ou sejam puramente culturais,deve-se dar lugar a autênticas diferenças de opinião; sendo assim devemos garantir ao nosso irmão o direito de alimentar opiniões contrarias ás nossas.

Quem és tu que julgas o servo alheio? Para o seu próprio senhor está em pé ou cai...Assim, cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus(Rm.14.2a, 12) O fato é que somos membros de uma sociedade. Assim temos responsabilidade para com ela, mas no final a nossa responsabilidade é somente perante Deus, o que significa que no juízo seremos julgados por Deus e não pelos outros. O mesmo grau de sinceridade que se espera das pessoas é o que devemos empregar no trato a elas.

Não devemos viver para o nosso próprio prazer ou interesses. É preciso também levar em conta os efeitos que nossa vida tem sobre outros. Sendo assim, É bom não comer carne, nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa com que teu irmão venha a tropeçar [ou se ofender ou se enfraquecer]. (Rm.14.21). Aqui encontramos outra questão,bem popular no meio cristão uns tem fé pra tomar uma taça de vinho enquanto outros julgam ser pecado. Dai a liberdade que eu e alguns reivindicam para beber social ou moderadamente muitas vezes tem causado a queda do mais fraco.

Um exemplo foi quando os jornalistas Douglas Tavolaro e Cristina Lemos publicaram na página 73 do livro "O BISPO A história revelada de Edir Macedo" Que ao menos uma vez por semana o Bispo Macedo aprecia o prato português "Bacalhau acompanhado de uma taça de vinho tinto chileno ou sul-africano". Muitos cristão e lideres dispararam contra tal pratica,já eu compreendi até porque quem me conhece sabe que eu também aprecio o bom vinho produzido no sul de nosso país.
Ora se você não toma vinho mais come carne,se torna mais santo que o quem toma vinho?? Eu digo que não. Mas também que compete a nós limitar de modo voluntário nosso legítimo desfrute,em beneficio do que não possui a mesma força de vontade. Ora, nós que somos fortes devemos suportar as debilidades dos fracos e não agradar-nos a nós mesmos.(Rm.15.1)

O fato a ser observado aqui é que todas nossas ações devem trazer em si a certeza positiva da fé.A fé que tens, tem-na para ti mesmo perante Deus. Bem-aventurado é aquele que não se condena naquilo que aprova. Mas aquele que tem dúvidas é condenado se comer, porque o que faz não provém de fé; e tudo o que não provém de fé é pecado.(Rm.14.22,23).

Enquanto se tem dúvida você deve retardar a sua ação até ter uma visão mais clara, sendo sempre mediante a oração e estudos de contextos bíblicos que se aplique a cada caso,assim fazendo o Espírito Santo remove a dúvida ou dá a convicção de que tal ação não é a vontade de Deus.

Na maioria das vezes o problema maior é uma consciência fraca e despreparada,que necessita de instrução da Palavra de Deus. Também é possível que as nossas ações passadas ,as tradições ou mesmo o preconceito suscite dúvidas sobre coisas que a Bíblia não condena.

Por isso somos dependentes do ministério gracioso do Espírito Santo para nos guiar a "toda a verdade" João 16:13

Que Deus nos oriente,na Fé!

Às coisas duvidosas

Todos nós, e em especial os que se dizem cristãos,muitas vezes temos que decidir se determinado caminho [curso] é certo ou errado. E não poucas vezes o problema nem é nosso,mas é como cristãos que somos solicitados a aconselhar e orientar nesta área. Sabe amigos os escritos de Paulo nos dão diretrizes muito úteis para esse fim.

Mas o fato é que alguns fazem uso da declaração de Paulo de que "não estamos debaixo da lei, e sim da graça" (Rm.6.15) Como se isso significasse que sob o domínio beneficente da graça não houvesse mais lugar para proibições e sacrifícios da lei . Mas isso está longe de ser o caso verdadeiro. Pois o ensino claro de Paulo é que não estamos "debaixo da lei" como meio de nossa justificação,mas isso não quer dizer que podemos viver sem lei,ou que não precisamos sacrificar,ou que não há necessidade de devolver os dízimos e etc... E isso pelo simples fato de "estarmos debaixo da lei de Cristo". Veja Amigos estamos sujeitos por novos,mas não menos poderosos laços.

Será que não é um fato notável que no Novo Testamento,com uma exceção significativa aos alimentos e a lei do sábado,se repita cada um dos mandamentos da lei, mas agora com um raio de ação bem ampliado. Só um exemplo, nosso Senhor disse: Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela.(Mt. 5.27-28).

O que quer dizer que estamos agora sob a lei de Cristo,sujeitos pelos laços do amor para um novo estilo de vida. A Nova Aliança não promulga um novo código de normas e regulamentos, mas simplesmente enuncia princípios que se corretamente aplicados,cobrirão cada caso. Agora aquelas implacáveis exigências "não farás... não farás" são substituídas por graciosos empreendimentos " firmarei,imprimirei,inscreverei..."(Hb. 8.10-12).

Sabe como é que podemos nos desfazer de muitas questões controversas? Se questionando e dando respostas as questões: Veja alguns exemplos :

Se eu proceder assim,me será benéfico e proveitoso?? Se se eu tomar este caminho,serei um cristão melhor e mais maduro? Sera minha vida mais proveitosa para Deus e para as pessoas ao meu redor?? É construtiva? Edifica e fortalece a igreja? leia (1Cor.10.23) Embora as coisas sejam legítimas,nem todas são de igual valor. Sempre devo eu me perguntar será que isso fortalece meu caráter cristão? ou vai me ajudar a cumprir a tarefa de edificar a igreja???

A verdade é que até as coisas lícitas podem exercer uma influencia indevida sobre nós,impedindo-nos de receber o que Deus tem de melhor para nós. Por exemplo eu gosto de ler livros,de assistir TV e de estar logado nas redes sociais. Tem algo de errado nisso? Não! Mas o fato é que uma quantidade indevida de leitura de livros seculares [mundano,que não pertence a ordem religiosa]ou tempo excessivo diante da TV ou do PC,podem tirar meu apetite pela Palavra de Deus. Então temos que escolher com cuidado as nossas prioridades,mesmo se tratando das coisas lícitas.

Uma outra questão que é sempre importante você fazer: Isso vai me fortalecer contra a tentação??
Porque não adianta nada eu orar,dizendo:"não nos deixes cair em tentação", se voluntariamente eu corro pra ela. Devemos renunciar tudo que tende a tornar o pecado menos pecaminoso ou mais fácil de se cometer.
Isso não se aplica apenas à lascívia. Algumas coisa podem até ser intelectuais e belas,mas se a busca de tais coisas diminui nossa visão espiritual ou embaraça-nos a corrida ,são pesos que devemos por de lado."Desembaraçando-nos de todo peso" (Hb.12.1).

Muito embora vivamos num ambiente diferente,os problemas que os cristãos de Roma se defrontavam não se diferem essencialmente dos que enfrentamos hoje. Então o conselho de paulo nessas áreas é sobremodo atual,e se aceitamos os princípios que ele enuncia e atuarmos de acordo,seremos levados a uma nova e jubilosa liberdade.

Que Deus nos oriente,na Fé!

"O fruto da benção de Toronto é podre" diz Paul Gowdy em entrevista exclusiva à “Rede Record”



Paul Gowdy, um dos fundadores da corrente que prega a fanerose, prática que no Brasil ficou popularmente conhecida como o cair no espírito ou cai-cai, está arrependido. Ele decidiu romper com o silêncio e lançar um alerta sobre o que ajudou a difundir.

Em entrevista exclusiva à “Rede Record” e em uma carta que, segundo conta, demorou 9 anos para conseguir escrever, ele revelou arrependimento e disse que, ao contrário do que sempre defendeu, o cair no espírito nunca foi uma manifestação do Espírito Santo.

“Creio que Satanás usou esta experiência para cegar as pessoas sobre as doutrinas históricas de Deus, em que o fruto cresce ao lado de uma vida de arrependimento”, escreveu.

À “Record”, Gowdy foi mais longe.Disse acreditar que Deus o salvou para que pudesse conceder a entrevista e, desta forma, alertar sobre o erro no qual acreditou por muito tempo.

As declarações foram transmitidas na noite deste domingo (13), em reportagem especial produzida pelo programa Domingo Espetacular. Além de ouvir um dos principais fundadores desta corrente, a equipe do programa também visitou templos em que seguidores caem, rolam e gargalham no chão. A prática tem muitos adeptos e ganha força no Brasil.

Se você perdeu o programa,não tem problema o Blog traz a reportagem na integra pra você.

De cair o queixo

Fundador da corrente que prega o cair no espírito faz revelações inéditas à "Record". Entrevista vai ao ar neste Domingo Espetacular, dia 13 de novembro, às 8h45 da noite

Paul Gowdy, um dos fundadores da corrente que prega a fanerose, prática que no Brasil ficou popularmente conhecida como o cair no espírito ou cai-cai, está arrependido. Este ano, após passar por uma internação e quase morrer devido a um coágulo na perna que afetou pulmões e coração, ele decidiu romper com o silêncio e lançar um alerta sobre o que ajudou a difundir.


Em entrevista exclusiva à “Rede Record” e em uma carta que, segundo conta, demorou 9 anos para conseguir escrever, ele revelou arrependimento e disse que, ao contrário do que sempre defendeu, o cair no espírito nunca foi uma manifestação do Espírito Santo.


“Creio que Satanás usou esta experiência para cegar as pessoas sobre as doutrinas históricas de Deus, em que o fruto cresce ao lado de uma vida de arrependimento”, escreveu.


À “Record”, Gowdy foi mais longe. Após sair do hospital, disse acreditar que Deus o salvou para que pudesse conceder a entrevista e, desta forma, alertar sobre o erro no qual acreditou por muito tempo.


As declarações serão transmitidas na noite deste domingo (13), em reportagem especial produzida pelo programa Domingo Espetacular. Além de ouvir um dos principais fundadores desta corrente, a equipe do programa também visitou templos em que seguidores caem, rolam e gargalham no chão. A prática tem muitos adeptos e ganha força no Brasil. De acordo com neurologistas e psicólogos ouvidos pela “Record”, trata-se de um fenômeno ligado à indução, influenciado pela música e pelas falas dos pregadores.


Gowdy vê a “ação de espíritos mentirosos” e alerta para o risco de se deixar influenciar. Ele diz que “observava as pessoas agirem como animais, latindo, rugindo, cacarejando, fazendo de conta que voavam, como se asas tivessem, comportando-se como bêbados, entoando cânticos sem sentido”, e que hoje se vê “perplexo em pensar que aceitava isso como manifestações do Espírito Santo”.

Fonte: Da redação

redacao@folhauniversal.com.br

Veja a chamada deste Domingo Espetacular

A guerra espiritual do cristão

O cristão que ignora as atividades do adversário invisível,o diabo,é obvio que não estudou com seriedade os ensinos do Senhor Jesus ou do apostolo Paulo sobre este assunto. Existe um provérbio chinês que diz: "Conhece o teu inimigo; então, em cem batalhas serás vitorioso cem vezes." Nenhum cristão pode dar-se ao luxo de ter ignorância espiritual neste assunto.

A passagem clássica sobre a guerra espiritual do cristão com Satanás e com as potestades das trevas foi escrita por Paulo.(Ef.6.10-18). Cristão sagaz que ele era,estava alerta à necessidade de instruir seus seguidores no que diz respeito aos inimigos que eles encontrariam, ao caráter da guerra na qual estariam inevitavelmente empenhados, e ao caminho da vitória. Para Paulo o diabo não era invencione de uma imaginação superaquecida,mas um antagonista astuto e experiente. Ele era sábio demais para subestimar a força do seu oponente. Com certeza Paulo aprovaria a afirmativa de que um bom general deve penetrar o cérebro do inimigo [Vitor Hugo].

Paulo havia feito isto,portanto,não era ignorante sob os desígnios do diabo, veja :

E isso não é de admirar, pois até Satanás pode se disfarçar e se transforma em anjo de luz.(2Cor. 11.14).
Nos quais andastes outrora... segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência. (Ef.2.2 ).
O Perverso [iníquo] chegará com [a eficácia]o poder de Satanás e fará [sinais, e prodígios da mentira] todo tipo de falsos milagres e maravilhas. (2Ts.2.9).
O deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos. (2Cor.4.4).
Para os quais eu te envio,para...os converteres... da potestade de Satanás para Deus (At. 26.17-18).

Paulo ensinou que o cristão,em seu caminhar,por conta de seu testemunho,encontraria oposição e ódio do mundo,do diabo e dos espíritos maus que se aliaram a ele. Pois nós não estamos lutando contra seres humanos, mas contra as forças espirituais do mal que vivem nas alturas, isto é, os governos, as autoridades e os poderes que dominam completamente este mundo de escuridão.(Ef.6.12).

Paulo tinha convicção de que forças espirituais [invisíveis] governam o mundo,e que esses poderes sobrenaturais só poderiam ser vencidos com armas sobrenaturais ; e ele as empregava. paulo provou ser líder sábio e denodado nesta guerra espiritual.

Embora o poder de Satanás seja limitado e delegado,ele é mais do que um competidor para o mais vigoroso cristão. O Apostolo reconhecia que ao diabo fora concedida certa dose de controle como "príncipe da potestade do ar". Ele demostrou que nesta guerra não pode haver pacifistas. Pois essa guerra é verdadeira,é espiritual e desesperadamente real. A luta é travada corpo a corpo. E nossos inimigos contestarão o propósito eterno de Deus em cada ponto, e Deus conta com a nossa cooperação. Estamos nos dias finais da história e Apocalipse 12.12 esta se cumprindo. " Mas ai da terra e do mar! Pois o Diabo desceu até vocês e ele está muito furioso porque sabe que tem somente um pouco mais de tempo para agir."

Ele sabe que a vitória de Cristo significa o fim do seu domínio, e assim ele resiste desesperadamente numa tentativa de protelar a sua derrota.

A estratégia de Deus é que nós,os cristãos,resistamos e retenhamos o terreno na posição de privilégio e segurança na qual ele nos colocou. Deus " Por estarmos unidos com Cristo Jesus, Deus nos ressuscitou com ele [Cristo] para reinarmos com ele [Cristo] no mundo celestial." (Ef.2.6). É nossa a responsabilidade de "ficar firmes"..."resistir"..."estar firmes" (6.11,13,14). Ou seja resistir,resistir,resistir.

O plano do diabo é tirar o cristão desta posição,e conduzi-lo para níveis inferiores, esquecido de sua posição privilegiada "nas regiões celestes". O desgraçado do do diabo tenta induzir o cristão a lutar,guerrear com armas carnais; só que Paulo já nos advertiu que não podemos travar esta guerra como o mundo. "As armas que usamos na nossa luta não são do mundo; são armas poderosas de Deus, capazes de destruir fortalezas. E assim destruímos idéias falsas"(2Cor.10.4). Só o fato de tratar-se de uma guerra espiritual,já determina o tipo de armas que se deve usar.

Paulo ainda que acorrentado a um soldado,estava consciente do propósito e natureza da armadura. Ele por se preocupar,que seus seguidores não fossem despreparados para a guerra. Se utilizou desta figura para aconselhar os efésios e a nós também,a se apropriar da fortaleza e do poder divino,pois ele se achava graciosamente provido:" sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder."(Ef.6.10)

Em outras palavras ou você corta a cabeça do diabo ou vai perder a sua salvação,agora como poderemos cortar a cabeça do desgraçado do diabo? Se utilizando da "espada do Espírito" ,assim como os soldados romanos se utilizavam de uma armadura para ir a batalha,assim também o cristão deve se revestir de toda a "armadura de Deus" Que o próprio Deus provê.

Imagine acordando um dia e achando sua casa bem no meio de um campo de batalha. Com bombas explodindo ao seu redor, os disparos de metralhadoras e os gritos dos feridos, qual seria o seu primeiro pensamento? Se levantaria para ir ao serviço? Iria para a escola? Lavaria o carro? A sua primeira reação seria a sobrevivência sua e da sua família, não é?

Mesmo quando não percebemos a guerra ao nosso redor, isso não quer dizer que ela não exista. Em termos bem fortes, Paulo escreve que o mundo é um campo de batalha espiritual (6:12). Nós precisamos nos despertar para ver que a batalha é real!

Deus te oriente,na Fé!

Só Deus conhece o verdadeiro trigo e o verdadeiro joio

Na tentativa de contextualizar a parábola do trigo e joio, é preciso afirmar, sem medo de errar, que ambos estão presentes em todos os segmentos cristãos conhecidos hoje em dia. Há trigo onde não se esperava que houvesse. Há joio no meio de grupos aparentemente mais espirituais, mais conservadores, e mais avivados. Nem todos os líderes que atraem imensas multidões são necessariamente movidos pelo Espírito, como eles mesmos dizem. É certo que entre eles há joio, e, não trigo. Semelhantemente há joio no meio dos líderes de denominações históricas e tradicionais.


Face a essa confusão religiosa provocada pelo diabo, não pode haver uma colheita precipitada do joio por causa do risco de se cometer uma injustiça contra o trigo. Só Deus conhece o verdadeiro trigo e o verdadeiro joio. A separação é certa, mas não exatamente agora. O trigo e o joio precisam amadurecer primeiro. Então, na colheita de um e de outro, no fim desta era de mistura e de confusão, os encarregados da colheita separarão o joio do trigo, com a facilidade com que o pastor separa as ovelhas dos bodes (Mt 25.32).


A parábola do trigo e joio é bem atual, pois ninguém pode negar a intensidade e a velocidade do crescimento da Igreja neste final de século. E o crescimento do joio vem junto com o crescimento do trigo. Ela explica uma série de coisas esquisitas que estão acontecendo e livra os cristãos tanto da ingenuidade como da precipitação.

Tudo isto quer dizer sem rodeio algum que entre os chamados cristãos há trigo e joio, há crentes verdadeiros e falsos crentes, falsos mestres, falsos profetas, falsos apóstolos e falsos cristos. A falsidade está temporariamente escondida atrás de uma capa bonita e atraente, atrás da capacidade de profetizar, da capacidade de expelir demônios e da capacidade de fazer muitos milagres (Mt 7.32; 24.23-24).

O problema é de âmbito mundial, pois o campo onde as duas sementes foram lançadas é o mundo. É também insolúvel, pois a parecença do joio com o trigo é enorme, e o dono do campo não quer correr o risco de arrancar o trigo como se fosse joio. Há de se ter muita paciência e esperar o tempo da colheita, quando pessoas capazes hão de colher primeiro o joio para ser queimado, e, depois, o trigo para ser guardado no celeiro. Não pode haver precipitação. Não se pode jamais sacrificar nem sequer um pé de trigo.

O autor da denúncia da triste mistura do trigo com o joio é o próprio Senhor da Seara. Há mais de dois milênios Jesus Cristo ensinou: “O Reino dos céus é como um homem que semeou boa semente em seu campo. Mas, enquanto todos dormiam, veio o seu inimigo e semeou o joio no meio do trigo e se foi. Quando o trigo brotou e formou espigas, o joio também apareceu” (Mt 13.24-26).

Não tem como negar nem como escapar. Quanto mais trigo, mais joio. A quantidade de joio é proporcional à quantidade de trigo. Sempre foi assim. Enquanto alguns se dão ao trabalho de semear o trigo, outros se dão ao trabalho de semear o joio. Ambos os semeadores são incansáveis. A extensão do trigo provoca a extensão do joio.

Jesus Cristo fornece outros detalhes: “Aquele que semeou a boa semente é o Filho do Homem; o campo é o mundo, e a boa semente são os filhos do reino. O joio são os filhos do maligno, e o inimigo que o semeia é o diabo. A colheita é o fim desta era, e os encarregados da colheita são anjos” (Mt 13.37-39)

Autor desconhecido

Deus te oriente, na Fé !

A química do Sacrifício  

Em Portugal, bispo Macedo ensina o que o ser humano deve fazer para conquistar as promessas de Deus




Bispo Edir Macedo realizou a reunião do Espírito Santo, no último domingo (30) às 09h30, no Cenáculo do Espírito Santo de Lisboa, Portugal, onde destacou sobre a importância do ato de sacrificar para Deus.

“Qual a razão do sacrifício? Talvez você diga: ‘Se Ele prometeu basta-me apenas tomar posse!'. Porém, as promessas de Deus não se cumprem de forma tão simples como pensamos. Tem que haver uma parceria entre Deus e entre os que nelas creem, isto é, funciona tal como um casamento, as pessoas têm que acreditar uma na outra, tanto que renunciam à vida de solteiro, à liberdade, para se associarem à outra pessoa e, assim, estabelecerem uma família, um lar, uma instituição”, ensinou.

Entretanto, o bispo ressaltou que apenas a união em matrimônio de um homem e uma mulher não é suficiente para manter o relacionamento saudável e duradouro, mas é preciso que se estabeleçam regras. “ Quando duas pessoas se associam estabelece-se regras, leis, uma disciplina. Pois, casar não é difícil, contudo, manter a união já é outra conversa. E por que é que isto acontece? Porque ambos têm que sacrificar para que a união se mantenha! Sacrificar a sua vontade, o próprio eu, pois ninguém aceita uma imposição do outro, tem que haver um acordo entre os dois, um sacrifício! É uma espécie de dança, na qual ambos vão acertando os passos até que saia perfeita. Assim funciona com Deus, nós fazemos a nossa parte e Ele faz a d'Ele. Porém, fique ciente de que Deus quer para nós o melhor!”, exortou.

Ainda sobre o tema, o bispo citou a passagem bíblica que diz: “Eu sei, porém, que o rei do Egito não vos deixará ir se não for obrigado por mão forte.” (Êx 3.19) . E explicou: “Deus sabia que o faraó representava o mal, o próprio diabo. Isto significa que entre você e as promessas de Deus existe um verdadeiro precipício, que você terá de atravessar para tomar posse”, disse.

Antes de finalizar a mensagem e realizar a busca pelo Espírito Santo, participando da Santa Ceia com todos os presentes, o bispo fez questão de ressaltar o caso dos cegos a quem Jesus curou. “Jesus curou os cegos dizendo: 'Você crê que eu possa fazer isto?' e eles respondiam 'sim, cremos!' e então Jesus assegurava 'seja feito conforme a sua fé!' e eles ficavam curados. O cego Bartimeu clamou a Jesus por duas vezes e Jesus parou e fez conforme a fé dele. Todavia, houve um outro cego que foi diferente. Este estava à beira do caminho, era cego de nascença e não clamou por Jesus. Por isso, para despertar a fé daquele cego, Jesus fez lodo com a Sua saliva e mandou que ele se lavasse no tanque de Siloé. Foi com aquele ato que a fé dele foi despertada, tudo acompanhado do seu próprio sacrifício. Esta é a química da fé, do sacrifício, que faz você despertar para lutar por aquilo que acredita, por isso a existência do sacrifício!”, finalizou.

Fonte: Com informações IURD- Portugal
redacao@arcauniversal.com

Que Deus te oriente,na Fé!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...