IURD Cenáculo Brasilândia Rua,Parapuã,1885, V. Brasilândia, São Paulo, SP

Loading...

Homem tímido ou valente?

Depois da morte de Josué, o povo de Israel passou por mais de três séculos nos quais "não havia rei em Israel; cada um fazia o que achava mais reto" (Juízes 17:6; 21:25). Durante esse período, se repetia várias vezes o mesmo ciclo: Œ O povo obedecia a Deus por algum tempo e,  depois, afastou-se dele. Ž Como alerta ao povo rebelde, Deus permitia que um inimigo o oprimisse.  Quando o povo se arrependia e pedia libertação,  Deus mandava juízes para livrá-lo das mãos dos inimigos.‘ O povo resgatado servia ao Senhor durante o resto daquela geração, assim começando, de novo, o ciclo. Gideão foi o quinto dos juízes ou libertadores, apresentado em Juízes, capítulos 6, 7 e 8. Da vida dele, podemos aproveitar muitas lições valiosas.

Os midianitas oprimiram os israelitas por sete anos. Eles subiam cada ano e tomavam os produtos alimentícios dos campos e todos os animais dos hebreus. Para sobreviver, os israelitas escondiam alimentos do inimigo. Gideão estava preparando comida para escondê-la quando o Anjo do Senhor apareceu. Imagine este homem, trabalhando com medo do inimigo, quando ele ouviu as palavras do Anjo: "O Senhor é contigo, homem valente" (Juízes 6:12).Gideão respondeu: — Se o SENHOR Deus está com o nosso povo, por que está acontecendo tudo isso com a gente? Onde estão aquelas coisas maravilhosas que os nossos antepassados nos contaram que o SENHOR costumava fazer quando nos trouxe do Egito? Ele nos abandonou e nos entregou aos midianitas.(Juízes 6.13)


Pela resposta de Gideão, parece que ele nem pensou no significado da frase "homem valente". Ele entrou diretamente numa discussão com o anjo sobre a presença de Deus. A fé emotiva não deixa a pessoa ter coragem para tomar atitudes claras e objetiva

Ele não entendeu como Deus, estando com o povo, deixaria Israel sofrer. Deus continuou a conversa, desafiando Gideão a resolver o problema.


Já que ele duvidou da presença de Deus, devia ir na sua própria força (Juízes 6:14). Isso não! Gideão, agora, sentiu tão incapaz que procurou uma saída da missão dada por Deus. Ele explicou que era uma pessoa pequena de uma família insignificante de uma tribo pouco importante. Gideão não veio ao Senhor como homem valente. Deus ia fazer dele um líder corajoso.

A força de Gideão estava na sua revolta. Contudo, esta revolta não estava em seu coração, mas na sua mente. Gideão tinha a consciência do Deus de seus antepassados e de Suas maravilhas; que Ele era – e sempre será – Deus Onisciente, Onipresente e Todo-Poderoso. Isto é, um Deus que agia de fato!

Por meio de Seus servos fiéis e dedicados, Deus libertou três milhões de escravos do Egito, e de seus filhos constituiu a nação de Israel. Isso suscitou a inveja e, consequentemente, a ira dos povos do Oriente. Como um bando de escravos poderia se tornar uma nação? Todos foram contra e não aceitaram ter Israel como pátria. Caso semelhante acontece com a Igreja Universal do Reino de Deus diante das demais igrejas e religiões do mundo.

Por causa da fé racional, Gideão era revoltado contra a situação vigente em seu país; ele não aceitava crer em um Deus tão grande e se sujeitar à escravidão imposta pelos inimigos. A revolta dele não era um mero sentimento vindo do coração, mas que transbordava de seu intelecto. Como aceitar a escravidão, se dela Deus os havia libertado um dia? Isto é fé inteligente.

A fé emotiva não deixa que a pessoa tenha coragem para tomar atitudes concretas. Este tipo de pessoa é a que não tem nem coragem de sacrificar a vida pela salvação, quanto mais para conquistar benefícios. Antes, são indivíduos covardes e sujeitos às circunstâncias adversas. Porém, o mesmo não acontece quando a fé é separada da emoção. Este tipo de fé recusa vida mesquinha, miserável e indigna.

Se Deus é Pai e dono de tudo no universo, pode Seu filho viver uma vida sem qualidade?

Você acha que a fé racional, sobrenatural e inteligente aceita isso? Só os filhos das trevas aceitam uma coisa dessas!


A força verdadeira do servo do Senhor não vem de si mesmo, e sim de Deus. Ninguém é forte o bastante para resolver seus próprios problemas sozinho, especialmente quando falamos sobre nosso problema principal: o pecado. Dependemos de Deus e de sua graça (Efésios 2:8-9). Paulo disse: "tudo posso naquele que me fortalece" (Filipenses 4:13). Os homens valentes, hoje em dia, são aqueles que confiam no Senhor.

Aliás já foi assim com Gideão ele confiou no Senhor,ofereceu-lhe a oferta de sacrifício e edificou-lhe o altar.(Juízes.6.17-23). Dai sim sua revolta teve fim proveitoso e não apenas gemidos,murmurações, timidez... É hora de separar a fé da emoção,recusando assim uma vida que não glorifique a Deus!

Que Deus nos oriente,na Fé !

Um comentário:

  1. Essa é a fé amigo Geraldo. Somos soldados, não religiosos detentores de cargos. Nossa profissão é guerra.

    Abraço. Na fé.

    ResponderExcluir

Todos comentários são bem vindos.

Porém, se o seu comentário,conter qualquer tipo de agressão, ofensa ou desrespeito para com a Instituição Igreja Universal, para com seus líderes ou para com o autor deste blog, removeremos seu comentário sem aviso prévio.

Desde já agradeço o comentário.

Que Deus nos oriente,na Fé!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...